No espaço reservado para os produtos da agricultura familiar, o visitante encontra alimentos orgânicos, artesanato, queijos e embutidos, vinhos e espumantes, cachaças e produtos de agroindústrias

Produtores rurais estão confiantes para alavancar a venda dos produtos durante a 23ª Feira da Agricultura Familiar na Expointer, que começou no sábado (4) e segue até o dia 12 de setembro.  O evento, apoiado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), por meio da Secretaria de Agricultura Familiar e Cooperativismo, ocorre no Parque Estadual de Exposição Assis Brasil, em Esteio (RS), e está levando otimismo aos expositores, que, durante os próximos dias, poderão comercializar seus produtos no Pavilhão da Agricultura Familiar. O espaço volta a receber visitantes, seguindo os protocolos sanitários, após ocorrer no formato drive-thru, em 2020.

No pavilhão, um dos lugares mais procurados dentro da 44ª Expointer, estão 228 expositores do Rio Grande do Sul, de Minas Gerais, do Amapá e do Rio de Janeiro. Dentro do espaço de sete mil metros quadrados, o visitante encontra alimentos orgânicos, artesanato, queijos e embutidos, vinhos e espumantes, cachaças, produtos de agroindústrias, entre outros.

Diretamente de Minas Gerais, Osvaldo Saturnino, 48 anos, participa da feira pela quarta vez e vê com entusiasmo as oportunidades geradas durante a feira. O expositor está comercializando farinha de mandioca caipira produzida artesanalmente e sem adição de conservantes.

“As nossas expectativas para a feira são as melhores, pois o primeiro dia foi muito bom, e estamos confiantes. Não viemos no ano passado, por conta da pandemia, e isso fez falta, pois temos vários projetos e muitos sonhos sendo realizados através dessa feira. A oportunidade para expormos os nossos produtos é muito importante, não só para mim, como para os outros colegas que estão aqui com jabuticaba, banana, cachaça e outros produtos diferenciados”, afirma Osvaldo Saturnino.

Um balanço divulgado no domingo (5) pelos organizadores da feira reforça o otimismo dos expositores e revela o potencial do evento para impulsionar uma retomada na comercialização das agroindústrias. As vendas de produtos da agricultura familiar fecharam o primeiro dia totalizando R$ 201.896,32. O boletim aponta que, desse total, R$ 164.188,32 foram da comercialização de produtos das agroindústrias. Os expositores de artesanatos, plantas e flores venderam o total de R$ 23.992 e as cozinhas arrecadaram R$ 13.716, com a venda de refeições.

“Estamos vivendo um momento de retorno das feiras presenciais e a Expointer está sendo um grande marco. Nós estamos vendo a alegria dos produtores rurais de estarem novamente expondo os seus produtos e se conectando com os consumidores. Os números do primeiro dia mostram que o público visitante continua tendo como local de preferência o Pavilhão da Agricultura Familiar, mostrando como é importante buscar a agregação de valor e se preparar para acessar mercados em eventos deste porte”, destaca o coordenador-geral de Acesso a Mercados do Mapa, Mateus Rocha.

Os bons resultados do primeiro dia de feira são comemorados por Rosa Harthmann, 54 anos, que está estreando na feira com a comercialização de caixas de morangos frescos e geleias de abacaxi, uva e morango com pimenta que ela mesma produz. “Fiquei contente, pois a nossa venda está boa. No sábado, trouxe 97 quilos de morango e vendi mais 60 quilos no mesmo dia”, conta.

A produtora Rosa Harthmann e a filha - Foto: Adriana Rodrigues/Mapa
Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa)

Linguiça colonial defumada, torresmo e copa são produtos que o visitante encontra no espaço de Walmir Ferreira, de 42 anos. O agricultor do município de Três Palmeiras (RS) produzia linguiças para consumo próprio e, há dois anos, decidiu investir na comercialização do produto tão elogiado pelos familiares. Hoje, ele participa da Feira da Agricultura Familiar com o objetivo de apresentar seus produtos para os visitantes. “A feira é muito importante para que as pessoas conheçam o que estamos produzindo, como também para fazermos contatos que resultem em vendas e parcerias. E a expectativa é que a gente venda bem, pois o primeiro dia foi bom”.

A 23ª Feira da Agricultura Familiar segue todos os protocolos sanitários preventivos contra o coronavírus. O ambiente conta com pontos de higienização com dispensers de álcool gel e lavatórios para as mãos. Monitores realizam abordagens educativas sobre a prevenção contra a Covid-19, orientando sobre uso da máscara e ajudando a verificar o cumprimento das regras sanitárias.

Serviço:
23ª Feira da Agricultura Familiar na Expointer
Data: 4 a 12 de setembro de 2021
Horário: 8h às 20h
Local: Parque de Exposição Assis Brasil – Esteio (RS)

Fonte: Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa)

Comments are closed, but trackbacks and pingbacks are open.