No Vale do Jequitinhonha (MG), município de Francisco Badaró, o produtor rural Jorge Gonçalves não precisa mais comprar ração para o gado. Nas últimas duas safras, com a implantação de áreas de Integração Lavoura-Pecuária (ILP), ele conseguiu produzir alimento suficiente para seu rebanho e até para ajudar vizinhos.

A propriedade sedia uma das Unidades Demonstrativas (UDs) do projeto Tecnologias Agropecuárias para o Semiárido Mineiro. “Nós tivemos palestras na Embrapa e foi decidido colocar UDs nos municípios que aceitassem uma parceria para incentivar os produtores sobre como tratar do gado na época da seca com silagem de sorgo. Eu implantei e estou muito satisfeito. Mantenho o gado sem precisar comprar ração e ainda passei para amigos meus que precisaram”, explicou o produtor Jorge.

Na safra 2019/2020, além da produção de sorgo para silagem em sistema ILP, também foi feito o cultivo de milheto para ração em integração com capim Massai. Após a colheita do milheto, o produtor ficou com a pastagem formada e tem recebido orientações dos profissionais da Emater-MG para fazer o manejo adequado da área. Na safra 2020/2021, foram implantados dois hectares de ILP com cultivares desenvolvidas pela Embrapa, sendo dois tipos de sorgo e dois de capim (sorgo BRS 658 e BRS Ponta Negra, capim BRS Quênia e BRS Piatã).  

“Nessa área de dois hectares, estima-se que vamos colher em torno de 100 toneladas de silagem. Isso faz com que o produtor não precise sofrer com a alimentação do rebanho no período seco do ano”, afirmou Ismael Mansur Furtado, coordenador técnico regional de pecuária da Emater-MG.

Paulo Deniz Oliveira, extensionista local da Emater-MG, faz o acompanhamento da propriedade e destacou a mudança na realidade do produtor. Além disso, o projeto busca expandir os benefícios para toda a região. “O principal propósito desse trabalho é socializar o conhecimento de tecnologias inovadoras. É um jeito diferente de fazer. Aqui, com a recuperação de pastagem, estamos trazendo uma tecnologia mais aperfeiçoada e a intenção é levar essa tecnologia ao conhecimento de todos os produtores ou, pelo menos, da maioria deles aqui do semiárido”.

Clique no vídeo e assista:

Parcerias

O projeto “Tecnologias Agropecuárias para o Semiárido Mineiro” é coordenado pela Embrapa Milho e Sorgo e conta com a parceria da Emater-MG e da Agência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (Anater). Na Anater, a gerência de Negócios e Monitoramento é responsável por desenvolver o trabalho.

Senar, Sebrae, Epamig, Instituto Federal do Norte de Minas Gerais, sindicatos rurais e os consórcios dos municípios também fazem parte da rede. As três regiões atendidas são: Ameje (Associação dos Municípios da Microrregião do Médio Jequitinhonha), Comar (Consórcio Público Intermunicipal Multifinalitário do Alto Rio Pardo) e Nova Ambaj (Nova Associação dos Municípios da Microrregião do Baixo Jequitinhonha).

Fonte: Embrapa Milho e Sorgo

Comments are closed, but trackbacks and pingbacks are open.