Semana Nacional do Extensionista propõe reflexões sobre oportunidades e desafios da Extensão Rural

06/12/2018

Valmisoney Moreira Jardim (*)

A Anater – Agência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural realiza em Brasília, de 3 a 7 de dezembro, a Semana Nacional do Extensionista, como parte das comemorações dos 70 anos da Extensão Rural brasileira, criada em 6 de dezembro de 1948. Mobilizando agentes de ATER de todas as regiões brasileiras, o evento propõe ainda ampliar os debates sobre os desafios e oportunidades para o setor e o desenvolvimento rural sustentável no contexto atual do Brasil e do mundo. 

Alguns números mostram o tamanho desses desafios e oportunidades que permeiam diretamente as realidades do campo e da extensão rural. Por exemplo, apenas no período de 2003 a 2012, a população mundial saltou de 6,3 para 7 bilhões de habitantes e, segundo dados do documento “Assistência Técnica e Extensão Rural no Brasil: Um Debate Nacional sobre as Realidades e Novos Rumos para o Desenvolvimento do País” (Asbraer/2014), a população mundial, em 2050, ultrapassará a casa dos 9 bilhões de habitantes. 

Essa perspectiva traz contextos e oportunidades inéditas para o meio rural brasileiro, para suas populações e, de modo especial, para a agricultura familiar e os serviços de ATER pública, que tem nesse segmento seu público prioritário. Esse crescimento populacional significa, segundo o mencionado documento, uma necessidade de crescimento de 70% na produção de alimentos até 2050. E ainda traz demandas como investimentos em ações de recuperação e preservação ambiental, em preservação de recursos fundamentais como água e solo, investimentos em energias a partir de fontes renováveis, e ações de combate e superação da fome e pobreza. 

E a dinâmica de todas essas áreas – produção de alimentos, energias renováveis, preservação ambiental, conservação da água e superação da pobreza – passa por ações que permeiam o meio rural, demandando serviços, sustentabilidade, tecnologias, investimentos e novas relações e integração com as populações rurais, criando oportunidades para o desenvolvimento humano e para a sua permanência no campo. Estabelecer condições adequadas para essa permanência no campo é fundamental para a segurança alimentar e qualidade de vida de toda a sociedade, pois a população rural brasileira representava 63,8% de seu total em 1950, e em 2012 estava reduzida a 15,2%. 

Portanto, ao mesmo tempo que o atendimento a essas demandas, como por exemplo a de aumento da produção de alimentos, são grandes desafios, são também excepcionais oportunidades para o Brasil reverter ou mitigar a migração rural, de ampliar mercados consumidores, de fortalecer sua segurança alimentar, de superar desigualdades sociais e para o desenvolvimento da nossa economia, com o aumento da geração de trabalho e renda com o fortalecimento do setor agrícola.

São perspectivas e horizontes como esses que devem orientar os diálogos, debates e reflexões que a Anater propõe e organiza nessa Semana Nacional do Extensionista. E porque são ainda perspectivas, demandas e desafios que revelam claramente a necessidade e urgência de serviços de assistência técnica e extensão rural cada vez mais fortes, eficientes e eficazes, com extensionistas e gestores capacitados e atuantes em entidades e organizações estruturadas e sustentáveis.     
E infelizmente podemos dizer que a condição de sustentabilidade de muitas entidades públicas de ATER não está boa. Temos alguns Estados onde elas foram priorizadas e continuam fortes, mas temos outros em que foram deixadas em segundo plano e enfrentam grandes dificuldades para cumprir seus objetivos, seja para o atendimento às famílias rurais ou para toda a sociedade. 

E entre as funções e o papel institucional da Anater está exatamente o de contribuir para a reversão desse quadro e, sobretudo, de atuar para o fortalecimento e o apoio na construção de uma ATER forte e eficiente, preparada para superar desafios e trazer para todos os brasileiros, das cidades e do campo, os frutos das oportunidades que a história nos oferece nesse momento, com a promoção do desenvolvimento rural sustentável. 

Organizada em estruturas enxutas, desburocratizadas e aptas a uma gestão com foco e agilidade, a Anater se consolidou numa agência coordenadora dos serviços de assistência técnica e extensão rural garantidos em lei aos produtores e às famílias do campo. Dessa forma, é o principal eixo institucional para a organização, desenvolvimento e fortalecimento de um revigorado sistema nacional desses serviços, com plenas condições de fazer a ATER demandada por quaisquer áreas de Governo, coordenando a implementação e a qualificação dessa política pública indispensável para o desenvolvimento do Brasil.

(*) Presidente da agência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural - ANATER

Incentivando a Inovação & Maximizando a Produtividade